Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Terça-feira, 15 de Janeiro de 2019





Preso que se fez de médico e deu golpe de R$ 1,4 mil tem recurso negado na Capital
Homem afirmou que se vítima não depositasse dinheiro para medicamentos, esposa perderia braço


10 de Janeiro de 2019 - 21:29           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 

Preso que se fez de médico e deu golpe de R$ 1,4 mil tem recurso negado na Capital

 
 
Um homem que foi julgado e condenado por aplicar um golpe de R$ 1,4 mil ao se fazer de médico, teve o recurso contra a pena negado nesta quinta-feira (10). Ele já estava preso quando aplicou o golpe e foi condenado a mais dois anos e quatro meses pelo crime de estelionato. O caso aconteceu no dia 18 de junho de 2014, em Campo Grande.

O recurso foi julgado pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal da Capital. De acordo com as informações dos autos do processo, o homem teria ligado para a vítima e se identificou como um médico, que supostamente trabalhava no hospital em que a esposa da vítima estava internada, em São Paulo.

O autor solicitou o depósito da quantia de R$1.470,00 na conta de outra pessoa, afirmando para o esposo que a falta do depósito poderia acarretar a perda do braço da paciente, já que ela não teria os medicamentos para usar.

A vítima realizou o depósito e como a esposa não recebeu a medicação, questionou à equipe médica, que informou que o casal caiu no “golpe do hospital”, momento em que tomaram conhecimento que outras pessoas teriam sofrido golpes similares na mesma época.

Em seu voto, o relator do processo, desembargador Jonas Hass Silva Júnior, ressaltou que a fixação da pena-base restou correta e bem fundamentada, justificando a sua elevação acima do mínimo legal. “Na hipótese, embora a pena definitiva tenha sido fixada em 2 anos e 4 meses de reclusão, o apelante é reincidente e, além disso, três circunstâncias judiciais lhe são desfavoráveis, de forma que deve ser mantido o regime inicial fechado para o cumprimento da sanção imposta´.

O homem que cumpria pena em regime disciplinar diferenciado, também foi condenado por danos materiais, no valor de R$ 1.470,00.










Plantão

.
15/01/2019 - 19:57   Governo diz não ter sido notificado de decisão que obriga a retomar concurso da polícia civil
15/01/2019 - 19:56   Bombeiros Militar em Dourados atende ocorrência de pessoa desaparecida
15/01/2019 - 18:49   Com decreto, pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo
15/01/2019 - 17:00   Macri e Bolsonaro devem discutir amanhã Mercosul e crise na Venezuela
15/01/2019 - 16:40   MP de Goiás apresenta segunda denúncia contra João de Deus
15/01/2019 - 16:20   Período de Declaração de Faturamento para MEI já começou
15/01/2019 - 16:07   Estelionatário promete comprar Fiat Siena de morador de Itaporã, e desaparece com veículo
15/01/2019 - 15:52   Cães encontram drogas em fundo falso de veículo
15/01/2019 - 15:52   Acidente entre ônibus e carreta deixa vítima fatal na BR-163
15/01/2019 - 15:50   Ação do Gaeco terminou com seis pessoas presas
15/01/2019 - 15:47   ‘Pescaria’ em Dourados rendeu mesada de R$ 30 mil, Jeep e até cirurgia plástica a investigados
15/01/2019 - 15:44   Calor de 37,7ºC faz de Aquidauana uma das cidades mais quentes do Brasil
15/01/2019 - 12:26   Amambaí: Câmara de Vereadores passará a atender em novo horário
15/01/2019 - 12:18   PMA prende pela 3ª vez pescador profissional pescando com redes com sua filha adolescente
15/01/2019 - 11:11   Mãe é presa por vender filho por R$ 5 mil para exploração sexual no Japão
15/01/2019 - 10:21   Hoje tem carne de panela com batata no Restaurante e Choperia Rei dos Espetos
15/01/2019 - 10:00   Lava Jato que lançava resíduos no rio Paraguai é fechado pela PMA
15/01/2019 - 09:58   Motorista morre ao ser lançado de carro em acidente próximo na MS-258
15/01/2019 - 09:51   Facebook começa a liberar função que permite compartilhar eventos no stories
15/01/2019 - 09:49   Bêbado, homem tenta atropelar PM e foge, mas é preso ao bater em poste
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!