Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Terça-feira, 15 de Janeiro de 2019





Omissão da União sobrecarrega MPF, Justiça e OAB em Corumbá



15 de Maio de 2018 - 15:32           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 
A União deve comprovar as medidas já tomadas para a promoção de assistência judiciária gratuita à população de Corumbá (MS), no prazo de 10 dias a partir da primeira intimação. A determinação judicial de 23 de março de 2018, em embargos de declaração, atende ao pedido do Ministério Público Federal em Corumbá. Caso a União não providencie a documentação exigida, haverá a aplicação de multa diária de cinco mil reais. Esta é a segunda determinação judicial para o mesmo processo.

No despacho, o juiz argumenta que, se até 6 de junho de 2018, a União não cumprir a sentença, será aplicada a multa mensal de R$ 500 mil. “Não houve uma única linha escrita pela União a respeito de que algo tenha sido feito para que a sociedade corumbaense tivesse algum apoio jurídico da DPU. Diariamente comparecem pessoas a esta Justiça Federal para que este magistrado analise se o cidadão tem ou não direito à assistência jurídica integral e determine o encaminhamento da questão à OAB local, a fim de que haja nomeação de advogado dativo. E a situação no Ministério Público Federal não é muito diferente”, pontua.

O MPF ajuizou Ação Civil Pública em 2013, requerendo a instalação de uma unidade da Defensoria Pública da União (DPU) no município. A Justiça Federal já havia sentenciado a União, em 6 de junho de 2017, a realizar, no prazo de um ano, estudos nas varas federais da fronteira para identificar a necessidade da instalação de uma unidade da DPU ou quaisquer resoluções que garantissem o direito da assistência judiciária gratuita. No entanto, passados dez meses desde o proferimento da sentença, o governo federal ainda não tomou nenhuma providência. 

Nem sequer foram estabelecidos convênios com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Defensoria Pública Estadual (DPE), ou com os escritórios de prática jurídica das universidades, nem mesmo a vinda de Defensores Públicos da União de outras localidades e lotação efetiva, como também foi estipulado na sentença. 

Entenda o caso - Em 2013, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou Ação Civil Pública com pedido de liminar, requerendo a instalação de ao menos dois defensores públicos federais lotados em outros municípios para atuar na região de Corumbá, além de uma estrutura administrativa e pessoal de apoio, até a devida instalação de uma unidade da DPU.Corumbá é o terceiro município mais populoso de Mato Grosso do Sul, com a estimativa de 109 mil habitantes (IBGE). O município, apesar da alta incidência de crimes federais – ocasionados especialmente pela fronteira com a Bolívia – não conta com assistência judiciária federal integral e gratuita aos cidadãos de baixa renda. 

Com a falta de defensores públicos na cidade, a assistência jurídica ao cidadão carente tem sido realizada pelo próprio Poder Judiciário, que nomeia advogados dativos. “A atuação da União não demonstra disposição em resolver o problema, não se preocupando com o fato de que está, inconstitucionalmente, a sobrecarregar (financeira e pessoalmente) o Poder Judiciário e o Ministério Público Federal. E a questão acaba sendo injusta também com a própria OAB local, que embora se predisponha a atuar na defensoria dativa da população, tem de esperar moroso procedimento de pagamento judicial, quando o correto seria, ante a ausência da União e de sua Defensoria Pública, estabelecer convênio e pagar diretamente aos senhores advogados”, conclui o juiz.










Plantão

.
15/01/2019 - 19:57   Governo diz não ter sido notificado de decisão que obriga a retomar concurso da polícia civil
15/01/2019 - 19:56   Bombeiros Militar em Dourados atende ocorrência de pessoa desaparecida
15/01/2019 - 18:49   Com decreto, pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo
15/01/2019 - 17:00   Macri e Bolsonaro devem discutir amanhã Mercosul e crise na Venezuela
15/01/2019 - 16:40   MP de Goiás apresenta segunda denúncia contra João de Deus
15/01/2019 - 16:20   Período de Declaração de Faturamento para MEI já começou
15/01/2019 - 16:07   Estelionatário promete comprar Fiat Siena de morador de Itaporã, e desaparece com veículo
15/01/2019 - 15:52   Cães encontram drogas em fundo falso de veículo
15/01/2019 - 15:52   Acidente entre ônibus e carreta deixa vítima fatal na BR-163
15/01/2019 - 15:50   Ação do Gaeco terminou com seis pessoas presas
15/01/2019 - 15:47   ‘Pescaria’ em Dourados rendeu mesada de R$ 30 mil, Jeep e até cirurgia plástica a investigados
15/01/2019 - 15:44   Calor de 37,7ºC faz de Aquidauana uma das cidades mais quentes do Brasil
15/01/2019 - 12:26   Amambaí: Câmara de Vereadores passará a atender em novo horário
15/01/2019 - 12:18   PMA prende pela 3ª vez pescador profissional pescando com redes com sua filha adolescente
15/01/2019 - 11:11   Mãe é presa por vender filho por R$ 5 mil para exploração sexual no Japão
15/01/2019 - 10:21   Hoje tem carne de panela com batata no Restaurante e Choperia Rei dos Espetos
15/01/2019 - 10:00   Lava Jato que lançava resíduos no rio Paraguai é fechado pela PMA
15/01/2019 - 09:58   Motorista morre ao ser lançado de carro em acidente próximo na MS-258
15/01/2019 - 09:51   Facebook começa a liberar função que permite compartilhar eventos no stories
15/01/2019 - 09:49   Bêbado, homem tenta atropelar PM e foge, mas é preso ao bater em poste
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!