Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Sábado, 18 de Agosto de 2018





Omissão da União sobrecarrega MPF, Justiça e OAB em Corumbá



15 de Maio de 2018 - 15:32           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 
A União deve comprovar as medidas já tomadas para a promoção de assistência judiciária gratuita à população de Corumbá (MS), no prazo de 10 dias a partir da primeira intimação. A determinação judicial de 23 de março de 2018, em embargos de declaração, atende ao pedido do Ministério Público Federal em Corumbá. Caso a União não providencie a documentação exigida, haverá a aplicação de multa diária de cinco mil reais. Esta é a segunda determinação judicial para o mesmo processo.

No despacho, o juiz argumenta que, se até 6 de junho de 2018, a União não cumprir a sentença, será aplicada a multa mensal de R$ 500 mil. “Não houve uma única linha escrita pela União a respeito de que algo tenha sido feito para que a sociedade corumbaense tivesse algum apoio jurídico da DPU. Diariamente comparecem pessoas a esta Justiça Federal para que este magistrado analise se o cidadão tem ou não direito à assistência jurídica integral e determine o encaminhamento da questão à OAB local, a fim de que haja nomeação de advogado dativo. E a situação no Ministério Público Federal não é muito diferente”, pontua.

O MPF ajuizou Ação Civil Pública em 2013, requerendo a instalação de uma unidade da Defensoria Pública da União (DPU) no município. A Justiça Federal já havia sentenciado a União, em 6 de junho de 2017, a realizar, no prazo de um ano, estudos nas varas federais da fronteira para identificar a necessidade da instalação de uma unidade da DPU ou quaisquer resoluções que garantissem o direito da assistência judiciária gratuita. No entanto, passados dez meses desde o proferimento da sentença, o governo federal ainda não tomou nenhuma providência. 

Nem sequer foram estabelecidos convênios com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Defensoria Pública Estadual (DPE), ou com os escritórios de prática jurídica das universidades, nem mesmo a vinda de Defensores Públicos da União de outras localidades e lotação efetiva, como também foi estipulado na sentença. 

Entenda o caso - Em 2013, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou Ação Civil Pública com pedido de liminar, requerendo a instalação de ao menos dois defensores públicos federais lotados em outros municípios para atuar na região de Corumbá, além de uma estrutura administrativa e pessoal de apoio, até a devida instalação de uma unidade da DPU.Corumbá é o terceiro município mais populoso de Mato Grosso do Sul, com a estimativa de 109 mil habitantes (IBGE). O município, apesar da alta incidência de crimes federais – ocasionados especialmente pela fronteira com a Bolívia – não conta com assistência judiciária federal integral e gratuita aos cidadãos de baixa renda. 

Com a falta de defensores públicos na cidade, a assistência jurídica ao cidadão carente tem sido realizada pelo próprio Poder Judiciário, que nomeia advogados dativos. “A atuação da União não demonstra disposição em resolver o problema, não se preocupando com o fato de que está, inconstitucionalmente, a sobrecarregar (financeira e pessoalmente) o Poder Judiciário e o Ministério Público Federal. E a questão acaba sendo injusta também com a própria OAB local, que embora se predisponha a atuar na defensoria dativa da população, tem de esperar moroso procedimento de pagamento judicial, quando o correto seria, ante a ausência da União e de sua Defensoria Pública, estabelecer convênio e pagar diretamente aos senhores advogados”, conclui o juiz.










Plantão

.
18/08/2018 - 11:25   Itaporã 1490 crianças devem serem vacinadas contra poliomielite e Sarampo
18/08/2018 - 09:54   Mayra Cardi doa cachorro e é criticada na web: "Lixo de pessoa"
18/08/2018 - 09:53   Feira de Aprendizagem estimula abertura de vagas de emprego
18/08/2018 - 09:51   Delegado aguarda laudo para saber se bebê internado no HU foi agredido
18/08/2018 - 09:50   Bandidos invadem loja de departamento em shopping
18/08/2018 - 09:49   Justiça manda sindicato manter 2/3 de professores em sala sob pena de multa diária de R$ 50 mil
18/08/2018 - 09:48   Questionamentos à candidatura de Lula serão redistribuídos no TSE
18/08/2018 - 09:47   Motoboy paraguaio é executado em Ponta Porã
18/08/2018 - 09:46   MPE pede bloqueio de bens de ex-prefeito de Rio Brilhante
18/08/2018 - 09:44   PM apreende carga de cigarros e volume de apreensões bate recorde no ano
18/08/2018 - 09:44   Dólar sobe e termina a semana acima de R$ 3,90
18/08/2018 - 09:42   TSE nega novo pedido de Lula para participar de debate na TV
18/08/2018 - 09:41   Seguradora lança programa de emprego para beneficiários do DPVAT
18/08/2018 - 09:34   Acesso à MS-228 entre Lampião Aceso e MS-184 é liberado parcialmente
18/08/2018 - 09:33   Capacitação para quem atuará no Enem em MS acontece amanhã
18/08/2018 - 09:32   Comitê da ONU pede que Lula participe de eleição
18/08/2018 - 09:31   Realidade aumentada é alternativa para aumentar produtividade do trabalhador
18/08/2018 - 09:27   Cassems aparece no ranking das melhores e maiores empresa do Brasil pelo 10º ano consecutivo
18/08/2018 - 09:25   Giovanna Ewbank exibe bumbum e impressiona fãs com biquíni cavado
18/08/2018 - 09:24   Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 23 milhões
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!