Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Terça-feira, 22 de Janeiro de 2019





Ausência de Bolsonaro acentua disputas e cacofonia na campanha



14 de Setembro de 2018 - 09:30           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 
A ausência física de Jair Bolsonaro (PSL), candidato a presidente que segue internado em estado grave após ter sido esfaqueado na semana passada, deixou acéfala sua campanha ao Planalto.

Núcleos diversos da candidatura deixaram de se falar devido ao arranjo particularíssimo da estrutura colocada em campo, que girava em torno do deputado.

Com a nova cirurgia de emergência a que ele teve de ser submetido na noite de quarta (12), só com muito otimismo aliados acham ser possível contar com vídeos de campanha gravados pelo deputado no hospital.

O agravamento do quadro descarta, na prática, a volta física do deputado à disputa, inclusive no caso de ele chegar ao segundo turno.

Os três filhos mais velhos do candidato, todos políticos e ligados à campanha, buscam tomar as rédeas do processo.

Não por acaso, a conta de Bolsonaro no Twitter, à qual só eles têm acesso, trouxe um post sobre o assunto na quinta (13). "Muita coisa vem sendo falada na tentativa de nos dividir e, consequentemente, nos enfraquecer. Não caiam nessa! Não há divisão!."

Há dificuldades, a começar pela definição sobre o papel do vice do deputado, o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), enquanto o presidenciável convalesce.

Seu partido, o PRTB, consultou o Tribunal Superior Eleitoral sobre a possibilidade de Mourão ocupar o púlpito destinado a Bolsonaro em debates. Isso irritou a família, que viu no movimento um açodamento indevido, além de ter sido feito sem consulta ao PSL.

Mourão manteve sua disposição de "representar Bolsonaro", mas disse que o candidato "é insubstituível".

"Tenho o maior apreço pelo general, mas as coisas precisam ser esclarecidas. Bolsonaro está vivo e vai voltar a participar da campanha", disse diplomaticamente Luiz Antonio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista e um dos braços direitos do presidenciável.

Outros integrantes do núcleo consultor da campanha, que pediram para não se identificar, foram mais incisivos no que chamaram de oportunismo de Mourão e ainda jogaram a culpa no presidente do seu partido, Levy Fidelix.

Dois desses bolsonaristas atribuem à falta de acesso de Fidelix ao candidato na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a motivação para a consulta. A reportagem o questionou sobre isso, sem resposta.

Enquanto isso, Mourão segue cumprindo agendas pontuais. O mesmo ocorre com os filhos de Bolsonaro e aliados como o candidato ao Senado pelo PSL-SP, Major Olímpio. Ele e Eduardo, candidato à reeleição na Câmara, estarão por exemplo juntos em Bauru neste sábado (15).

Durante evento em São Paulo nesta quinta, Olímpio foi franco a respeito da possibilidade de sucesso da empreitada. "Nós não temos [Olímpio, Eduardo e Mourão] essa capacidade de levar milhares de pessoas às ruas, como é uma característica e uma força do Jair Bolsonaro. Mas vamos levar a mensagem", afirmou.

Esses movimentos, contudo, carecem de integração. Voltaram ao palco, por exemplo, críticas ao desempenho do presidente nacional interino do PSL, Gustavo Bebianno.

Advogado de Bolsonaro na ação em que é réu por incitação ao crime no Supremo, ele foi colocado na chefia do partido escolhido pelo deputado para disputar o Planalto.

Já teve entreveros com os filhos de Bolsonaro ao defender a ausência em debates, depois modulada por ordem do "zero-um", como o candidato é conhecido no seu QG de campanha. A mulher do dirigente, Renata, mantinha a agenda da campanha sob um controle quase soviético, para desespero de aliados regionais do deputado.

Há outras arestas. Um dos postulantes à vice de Bolsonaro, o príncipe Luiz Philippe de Orléans e Bragança, disse à revista Crusoé que Bebianno só "faltou cobrar" na negociação fracassada pelo posto.

Agora, o dirigente abandonou o Rio e praticamente mudou-se para o Einstein.

Só que ele e os demais integrantes da campanha não têm se reunido para fechar táticas do momento. Bolsonaro, afinal, era o mediador e a palavra final nesses casos. Bebianno não atendeu a reportagem.










Plantão

.
22/01/2019 - 17:23   PMA autua infratora em R$ 4,2 mil por derrubada de árvores nativas em 14 hectares para plantio de lavoura
22/01/2019 - 17:12   Rede de Educação do Sesi no Estado alinha proposta pedagógica para ser aplicada neste ano
22/01/2019 - 16:59   Itaporã: Agência Municipal de Emprego tem uma vaga disponível para quarta-feira 23
22/01/2019 - 15:03   Pente-fino descobre que até dono de 9 carros recebe Bolsa Família em MS
22/01/2019 - 14:37   Empresário é sequestrado na fronteira e bandidos pedem R$ 70 mil
22/01/2019 - 14:35   Scanners para revista reforçam fiscalização em 5 presídios de MS
22/01/2019 - 14:31   Encontrado corpo de criança de 6 anos que se afogou no Rio Miranda
22/01/2019 - 13:20   Carga de cocaína apreendida na BR-463 poderia render até R$ 47 milhões no Brasil
22/01/2019 - 13:00   UEMS abre 630 vagas para Dourados no Sisu 2019
22/01/2019 - 12:40   IFMS divulga 2ª chamada para cursos técnicos integrados
22/01/2019 - 12:20   Fábrica de celulose seleciona 154 motoristas de caminhão tritrem
22/01/2019 - 11:50   Senai está com matrículas abertas para curso de pós-graduação em Design de Produto de Moda
22/01/2019 - 11:49   Operações da CCR MSVia auxiliam execução de obras e serviços na BR-163/MS
22/01/2019 - 11:22   PMA prende pescador paulista durante a operação piracema e apreende barco, motor, pescado e veículo
22/01/2019 - 11:09   BR-163: Sargento da Polícia Militar fica ferido após colisão entre carro e carreta
22/01/2019 - 11:04   Caravina será eleito presidente da Assomasul pela segunda vez
22/01/2019 - 10:54   Homem é preso após matar travesti e guardar coração: ´Era um demônio´
22/01/2019 - 10:24   Hoje é dia de bife acebolado no Restaurante e Choperia Rei dos Espetos
22/01/2019 - 09:18   ´Sebinho´ foi mentor de assalto em Ivinhema, diz Defron
22/01/2019 - 09:06   Em Nova Andradina, motociclista avança a preferencial e é atingido por tenente da PM
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!