Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018





Assentados abandonam lotes entregues pelo Incra em MS
Desassistência e comércio irregul


14 de Novembro de 2017 - 08:01           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 

 
 

Os 204 assentamentos de Mato Grosso do Sul têm 4.287 lotes vazios, segundo números do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Em algumas cidades, a quantidade de parcelamentos abandonados supera o montante ocupado. A superintendência regional do órgão aponta para compra e venda de terras como principal irregularidade que leva à desocupação, mas a falta de assistência do próprio instituto às unidades também afasta assentados.

Conforme levantamento do Incra, atualizado no início do mês, 27.708 famílias estão assentadas em Mato Grosso do Sul. A capacidade total dos assentamentos é de 31.995, ou seja, 13,3% dos lotes disponíveis estão vazios.

Com 15 projetos de assentamento, Ponta Porã é o município sul-mato-grossense com maior número de lotes desocupados. São 1.501 parcelamentos, que correspondem a um terço da capacidade total na cidade da região sul do Estado, de 4.506 famílias.

Ainda em Ponta Porã, só o Assentamento Itamarati II Fetagri tem 1.142 terras abandonadas. O projeto foi entregue em 2004 e tem estrutura para comportar 1.692 famílias, mas apenas 550 estão instaladas.

O superintendente do Incra no Estado, Humberto César Maciel, discorda dos números levantados pela autarquia federal. “Não é essa a totalidade. Não tenho esse número, mas não é muita coisa”, afirma.

O representante responsabiliza o sistema de informações pela “diferença” nos dados. “A gente notou que a quantidade de lotes disponíveis em determinado assentamento era uma, mas no sistema era outra”. 

*Leia reportagem, de Jones Mário, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 











Plantão

.
17/01/2018 - 14:35   Depois de passar por MS, homem morre em SP com suspeita de febre amarela
17/01/2018 - 13:52   Itaporã fecha exercício 2017 com R$ 3,0 milhões a menos que 2016.
17/01/2018 - 12:00   Ottoni se matou com a mesma arma que assassinou Halley com três tiros
17/01/2018 - 11:40   Motorista avança preferencial, bate em outra caminhonete que atinge muro
17/01/2018 - 11:20   Motociclista morre depois de se envolver em acidente com ônibus
17/01/2018 - 10:54   Funsat oferece mais de 200 vagas com salário de até R$ 2 mil
17/01/2018 - 10:44   Acidente entre Voyage e Palio deixa três pessoas feridas na BR-163
17/01/2018 - 10:00   MS terá mais cinco aparelhos de radioterapia para tratar câncer pelo SUS
17/01/2018 - 09:50   Motorista desvia de tamanduá e capota caminhão com tijolos em rodovia
17/01/2018 - 09:40   Promotoria pede na Justiça afastamento de prefeito de Ribas do Rio Pardo do cargo
17/01/2018 - 09:20   Pré-custeio da safra 2018/19 deve chegar a R$ 12 bilhões
17/01/2018 - 09:00   Setor de mineração reage e movimenta R$ 1 bilhão em MS
17/01/2018 - 08:40   Rose diz que missão como vice foi cumprida; meta, agora, é Brasília
17/01/2018 - 08:20   Marun admite que ainda não tem votos suficientes para a reforma da Previdência
17/01/2018 - 08:00   Condenação de vereador chega na Câmara, mas presidente ainda não teve acesso
17/01/2018 - 07:40   Processo seletivo do Vale Universidade oferecerá 550 vagas em MS
17/01/2018 - 07:00   Homem é assassinado com cinco tiros enquanto caminhava por bairro
16/01/2018 - 15:22   APAE comprova desvio de mais R$ 20 mil, mas falta identificar R$ 300 mil do leilão
16/01/2018 - 15:06   Acusado de feminicídio em Três Lagoas é encontrado morto em SP
16/01/2018 - 15:04   Queen e Tina Turner estão na lista de homenageados do Grammy este ano
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 8171-8561 - Mande um whats!