Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Sábado, 15 de Dezembro de 2018





Após três anos em queda, divórcios sobem 2,5% no país



14 de Abril de 2018 - 07:10           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 

Os divórcios extrajudiciais – que não ocorrem perante os órgãos da justiça – aumentaram 2,5% em 2017 em todo o país. Os cartórios de notas, hoje chamados de tabelionatos de notas, lavraram 69.926 divórcios no ano passado, ante 68.232 no ano anterior. Os dados são do Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo (CNB/SP).

Esta é a primeira alta no número de divórcios extrajudiciais em todo o Brasil após três anos consecutivos em queda: 2016 (-1,3%), 2015 (-2,3%) e 2014 (-0,4%). Segundo o presidente do CNB de São Paulo, Andrey Guimarães Duarte, a mudança foi causada principalmente em razão da lei 11.441 de 2007, que normatizou a realização de divórcio extrajudicial, e da Emenda Constitucional 66, de 2010, que reduziu a burocracia para a separação.

“Havia um número represado de casais que desejavam se divorciar [antes da aprovação das leis]. Agora é normal [o número] que se estabilize ou diminua. Como podemos analisar, houve uma variação positiva, mas nada que saia da curva do normal”, disse Duarte.

De acordo com o levantamento, São Paulo foi o estado que mais registrou divórcios em 2017, com 17.269, número 1,5% maior que os 16.998 computados em 2016. O estado paulista é seguido, respectivamente por Paraná e Minas Gerais. A mesma tendência foi verificada na capital paulista, que apresentou uma das maiores altas do país. Os cartórios registraram na cidade 5.882 divórcios em 2017, 9% acima aos 5.361 em 2016.

Tabelionato de notas

De acordo com o CNB,  o divórcio pode ser resolvido em poucas horas em um tabelionato caso não haja bens a partilhar. É necessário, no entanto, que as partes apresentem todos os documentos exigidos e estejam acompanhados por um advogado.

Podem se divorciar em um tabelionato de notas os casais sem filhos menores ou incapazes. Aqueles que têm filhos com menos de 18 anos devem estar com questões como pensão, guarda e visitas já previamente resolvidas no âmbito judicial. Também é necessário que não exista litígio entre o casal.











Plantão

.
15/12/2018 - 08:16   Lula vira réu por lavagem de dinheiro em negócio na África
15/12/2018 - 08:14   DVD do Festival da Canção será lançado em congresso internacional
15/12/2018 - 08:12   Justiça mantém prisão de militar que usou veículo de motorista pagar agiota
15/12/2018 - 08:11   Matrículas da Reme seguem até o dia 13 de janeiro pela internet
15/12/2018 - 08:09   De biquíni, Bia e Bianca Feres fazem pose de ioga e brincam: "esquenta"
15/12/2018 - 08:04   Eleitos em 2018 são diplomados pelo TRE/MS
15/12/2018 - 08:01   Mega-Sena pode pagar R$ 42 milhões neste sábado
15/12/2018 - 07:59   Temer assina extradição de Cesare Battisti
14/12/2018 - 17:25   Pré-matrícula para veteranos da Uems vão de 21 de janeiro até 9 de fevereiro
14/12/2018 - 17:24   IFMS divulga resultado para ingresso em cursos técnicos integrados
14/12/2018 - 17:20   Homem é assassinado a facadas horas após sair da prisão
14/12/2018 - 16:33   Concurso para professores terá reforço na segurança, transporte e esquema especial de trânsito
14/12/2018 - 16:31   Casa é consumida pelo fogo e gestante perde todo o enxoval
14/12/2018 - 16:30   Defesa de João de Deus afirma não ter tido acesso a depoimentos
14/12/2018 - 16:30   Mega pode pagar prêmio de R$ 42 milhões amanhã
14/12/2018 - 16:29   Publicada Resolução que cria Centro de Memória da Assembleia Legislativa
14/12/2018 - 14:23   TRÁFICO Mulher é presa com cocaína em táxi na BR-262
14/12/2018 - 14:20   Justiça de Goiás determina prisão de João de Deus
14/12/2018 - 13:15   Paratletas de MS participam de campeonatos de Bocha Paralímpica em SP
14/12/2018 - 12:32   Justiça declara inexistente cobrança por serviço não realizado
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!